terça-feira, 20 de Janeiro de 2009

A história do Voleibol

O Voleibol foi criado em 1895, em Massachussets, por William G. Morgan, responsável pela Educação Física no Colégio de Holyoke, no Estado de Massachussets, nos Estados Unidos da América. Este professor de Educação Física, ao procurar criar uma nova actividade que fosse suave e motivante, ao contrário do fatigante e competitivo basquetebol, que se pudesse praticar no Inverno e que não colocasse tantos problemas de material e de ocupação como o ténis, inventou uma nova modalidade, a que chamou de “minonette” e que deu origem ao voleibol dos nossos dias.
William Morgan tentou criar uma actividade de carácter mais recreativo, que se adaptasse aos seus alunos e aos homens de negócios que frequentavam os seus cursos e que simultaneamente exigisse um grande esforço e uma movimentação variada. Ter-se-á inspirado do ténis, uma vez que permaneceu na sua ideia uma rede a dividir o espaço de jogo, ao mesmo tempo que o jogo deveria ser jogado num recinto rectangular, entre duas equipas separadas por uma rede, mantendo uma bola em movimento, até que esta tocasse no solo, ou fosse batida para além dos limites do campo.
O número de jogadores não era limitado só tinha de ser igual para ambas equipas. O sistema de rotação era já usado, para que todos jogadores pudessem servir.
Era pois, um jogo que poderia ser jogado em recintos cobertos ou ao ar livre, por um qualquer número de jogadores, que não precisavam de material para bater a bola, pois poderiam fazê-lo com as próprias mãos. A dificuldade estava em arranjar uma bola de grandes dimensões e de pouco peso, que se adaptasse ao tipo de jogo que se havia idealizado.
Como a bola de basquetebol era muito pesada, começou por se usar a sua câmara, o que também se tornava demasiado leve. Foi então que a firma A. G. Spalding & Brothers criou uma bola idêntica à dos tempos actuais.
A primeira demonstração pública deste jogo foi realizada em 1896 no Springfield College, durante uma conferência de directores de Educação Física do YMCA (Young Man Christian Association). Morgan apresentou duas equipas formadas por cinco jogadores, num campo de 15,35 m de comprimento, por 7,625 m de largura e com a rede colocada a uma altura de 1,98 m.
Durante a exibição o Prof. Alfred Halstead sugeriu a mudança de nome para “Volley-ball” que na sua opinião era mais adaptada ao jogo e com a qual Morgan concordou.
Estavam assim lançadas as bases de um jogo que, sofrendo variadas e profundas alterações, em breve se iria expandir e popularizar por todo o mundo.
As primeiras regras que se conhecem datam de 1896 e foram escritas por J. Y. Cameron, sendo as principais as seguintes:
1- O jogo era constituído por nove innings. Um inning consistia na execução de três serviços por jogador em cada equipa.
2- Sistema de pontuação - uma equipa só marcava ponto quando possuía o serviço.
3- A rede não podia ser tocada.
4- A bola não podia ser agarrada.
5- A bola podia tocar em qualquer objecto estranho ao jogo e se voltasse novamente à área de jogo podia continuar a ser jogada.
6- Os jogadores podiam tocar na bola duas vezes consecutivas.
7- O número de toques era ilimitado.
8- O número de jogadores por equipa era variável.
9- O campo tinha 50 pés (15,35 metros) de comprimento, 25 pés (7,625 metros) de largura e a rede estava colocada a uma altura de 6 pés e 6 polegadas (1,98 metros).

À medida que os jogadores foram evoluindo tecnicamente, que as equipas foram aperfeiçoando e melhorando a sua condição física e os conhecimentos tácticos, houve uma natural necessidade de modificar e aperfeiçoar as regras do jogo. Exemplo disso são as alterações feitas no Congresso da FIVB em 24-09-94 em Atenas, especialmente às regras 14.4.1 - "A bola pode ser tocada com qualquer parte do corpo." e 14.4.3 b) - "No primeiro toque da equipa (regra 19.2) a bola pode tocar consecutivamente várias partes do corpo, desde que esses contactos tenham lugar no decorrer da mesma acção." com o intuito de haver cada vez menos paragens no jogo e maior espectacularidade em cada ponto.
As regras do Voleibol sofreram uma evolução ao longo dos tempos, tendo sido introduzidas inúmeras alterações até aos dias de hoje:
1900 - Bola na linha era considerada válida.
- Bola que tocasse qualquer objecto exterior ao campo era considerada perdida.
1912 - Introduzida a rotação.
- Abolido o conceito de inning[1] e o jogo prolongado até aos 15 pontos.
- Proibição dos jogadores tocarem na bola duas vezes consecutivas.
1918 - O número de jogadores por equipa foi fixado em seis.
- O número máximo de toques de bola foi limitado a três.
- Aparecimento da linha central.
1925 - Apareceu a obrigatoriedade da vantagem de dois pontos, quando as equipas estavam em igualdade a 14 pontos.
- Aparecimento do bloco (inicialmente a regra só permitia ao jogador blocador um contacto com a bola).
1949 - Apareceu a regra que permitia a penetração do passador e a possibilidade de atacar com três jogadores.
1951 - Adopção da regra que permite passar as mãos por cima da rede durante o bloco e no movimento terminal do remate.
1957 - O tempo de repouso foi reduzido para 30 segundos.
1959 - Estabeleceu-se a largura de 5 cm para as linhas do campo.
1964 - O jogador blocador pode passar as mãos para o campo adversário (bloco ofensivo) e tocar a bola duas vezes sucessivas.
1970 - Apareceram as varetas para delimitarem o espaço de jogo e facilitar a acção dos árbitros.
1976 - Foi adoptada a regra que permite três contactos com a bola após o toque de bloco
1984 - Proibição de blocar a bola proveniente do serviço. Autorização do duplo contacto na primeira acção de jogada.
- Introdução do 17º ponto como decisivo, em caso de igualdade a 16 pontos.
- 5º set jogado em sistema de marcação contínua.
- Estabelecimento de três minutos de intervalo entre todos os sets.
1992 - Abolido o ponto limite no 5º set. Em caso de igualdade a 14-14 o jogo continua até que uma das equipas obtenha uma vantagem de 2 pontos.
- Os jogadores podem tocar a bola com qualquer parte do corpo até ao joelho.
- O toque na rede é falta, excepto quando um jogador que não participa na acção toca acidentalmente na rede.
1994 - Mudança da zona de serviço de 3 m para 9 m de largura.
- Os jogadores podem tocar a bola com qualquer parte do corpo.

Em Portugal, o voleibol foi introduzido pelas tropas norte-americanas que estiveram estacionadas nos Açores durante a primeira guerra mundial.
O engenheiro António Cavaco, natural da Ilha de S. Miguel, veio para Lisboa cursar engenharia e teve um papel preponderante na divulgação do voleibol, nomeadamente nas Escolas Superiores e Faculdades e com mais incidência na Associação de Estudantes do Instituto Superior Técnico, equipa que dominou o voleibol nacional até à década de sessenta.
A Associação Cristã da Mocidade (A.C.M.), ramo português do Y.M.C.A., teve igualmente uma acção relevante na difusão do voleibol em Portugal e a ela se deve a publicação do primeiro livro de regras escrito em português, bem como a sua importante contribuição para a fundação da Associação de Voleibol de Lisboa fundada em 28 de Dezembro de 1938.
Em 7 de Abril de 1947, foi criada em Lisboa, a Federação Portuguesa de Voleibol, cujo primeiro presidente foi Guilherme Sousa Martins, e que foi uma das fundadoras da Federação Internacional de Voleibol.
O primeiro Campeonato Nacional Masculino disputou-se em 1947 e teve como vencedora a equipa da A.E.I.S. Técnico.
Portugal participou no primeiro Campeonato da Europa em Roma, em 1948, e classificou-se em quarto lugar entre as seis equipas presentes.

[1] O inning consistia na execução de 3 serviços por jogador em cada equipa.

Sem comentários: